domingo, 1 de julho de 2018

domingo, 20 de maio de 2018

ISO-45001:2018 – SISTEMA DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (Curso On Line )


Conheça a nova Norma ISO-45001, que irá substituir a OHSAS-18001.
Com carga horária total de 16 horas, o curso apresenta os requisitos da norma e orientações para a sua implementação.
Assista uma Vídeo Aula gratuitamente em https://www.youtube.com/watch?v=FXRLHNNhhqc

Para saber mais sobre os nossos Treinamentos On Line, acesse: http://www.apsqualidade.com.br/p/treinamentos-on-line.html

Disponível também para turmas presenciais in company.

Para mais informações, entre em contato conosco:

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Curso ISO-31000:2018 - Gestão de Riscos com Técnicas de Avaliação



ISO-31000:2018 – GESTÃO DE RISCOS COM TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO (Curso On Line )

A Norma ISO-31000 foi revisada em Março de 2018 e nós já trazemos até você todas as novidades desta versão.
Com carga horária total de 16 horas, abordaremos os seguintes temas:
1. Introdução
     As Organizações e seus Riscos
     Os Benefícios da Gestão de Risco
     Termos e Definições
2. Princípios de Gestão de Risco
3. Estrutura
4. Processo de Gestão de Risco
5. Técnicas de Avaliação de Risco com Base na ISO-31010:
     Seleção de Técnicas
     Comparação de Técnicas
     Brainstorming       
     Análise SWOT
     Análise Preliminar de Riscos (APR)
     Matriz de Probabilidade e Consequência
     Índice de Risco
     FMEA
     HAZOP
     Análise de Árvore de Falhas (AAF)

Disponível também para turmas presenciais in company.
Para mais informações, entre em contato conosco:

sábado, 3 de março de 2018

Parece Pouco?



Por: J. Camilo G. Sardinha (*)
Imagine um dia comum na sua rotina. Você chega de manhã no trabalho, toma um cafezinho para dar ânimo e começa a sua jornada. Estamos no verão e a nossa hidratação é muito importante, então você bebe dois ou três copos de água durante a manhã.
Chega o almoço e um copo de suco geladinho acompanha a refeição, com mais um cafezinho ao final, como um bom brasileiro. Com as temperaturas na casa dos 30°C, lá vão mais dois ou três copos de água no período da tarde, além de mais um cafezinho com os amigos, porque ninguém é de ferro.
Se a cada vez que você ingeriu algum líquido usou um copo descartável, foram de oito a dez no dia.
Parece pouco? Então vamos fazer alguns cálculos.
Considerando o peso médio de um copo descartável, você consumiu cerca de 20 g. de plástico e gerou a mesma quantidade de resíduo. Isso corresponde a mais de 5 Kg por ano.
Ainda parece pouco? Se essa for a rotina de 1/3 da população na cidade de São Paulo, serão 20.000 toneladas, só em copinhos descartáveis. Imagine tudo isso sendo colocado no campo de futebol do estádio do seu time. Cobriria todo o campo em uma pilha de 3 metros de altura (isso se estivesse bem compactado). E se os copinhos não vão para o estádio, para onde vão? Cerca de 20% disso é encaminhado para reciclagem e o restante, na melhor das hipóteses, vai para aterros (quando não vão para rios, córregos, terrenos baldios, etc.).
Continua parecendo pouco? Pense que isso são apenas os copinhos descartáveis, que correspondem a uma pequena parcela do resíduo que nós geramos diariamente, necessitando de aterros para serem depositados para aguardar de 400 a 500 anos para se decomporem. Onde temos espaço para tantos aterros? Alguém aí quer ter um aterro sanitário ao lado de sua casa?
Imagine agora quanto daria essa conta para todo o país. É por isso que o nosso hábito de consumir coisas descartáveis, que usamos uma única vez e depois jogamos fora, não é um hábito sustentável.
Que tal mudarmos isso? Como? Reduza o seu consumo. Onde puder, adote copos, canecas, garrafas ou squeezes reutilizáveis. Onde não for possível, estabeleça uma meta individual de consumo, por exemplo um copo descartável por período.
Eu, por exemplo, tento não consumir mais que um copo descartável por dia em média na semana. Às vezes não tenho opções e consumo mais, então tento não consumir nos dias seguintes.
Parece pouco? Isso é consumir apenas 10% desse nosso exemplo. Se eu, você e mais outros fizermos assim, imagine o quanto estaremos contribuindo para reduzir este problema que é de todos nós.
Quando muitos fazem um pouco, o resultado é sempre grande.

(*) João Camilo G. Sardinha é Diretor da APS Qualidade, com mais de 30 anos de experiência profissional e há 17 anos atuando como Consultor, Instrutor e Auditor de sistemas de gestão. Auditor Líder ISO-9001, ISO-14001, OHSAS-18001 e ISO-50001 para a SGS e Instrutor de diversos temas para a SGS Academy, incluindo Tutor dos cursos de Auditor Líder. Autor do livro “Descomplicando a ISO-9001”.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Livro "DESCOMPLICANDO A ISO-9001" (Impresso e e-book)

Conheça os requisitos da principal norma internacional de sistemas de gestão da qualidade por meio de exemplos práticos, claros e simples. Tudo isso aliado a uma leitura agradável, com histórias do cotidiano das empresas que certamente levarão o leitor a se identificar com situações vivenciadas por ele próprio.

Disponível em dois formatos:
Impresso:
e-book:

Garanta já o seu!


#descomplicandoaISO9001

sábado, 3 de fevereiro de 2018

As Novidades da ISO-45001:2018



Por: J. Camilo G. Sardinha (*)
A nova norma de sistemas de gestão de saúde e segurança do trabalho, a ISO-45001, está prestes a ser publicada (entre Fevereiro e Março deste ano a versão original e logo em seguida a versão brasileira).
Para quem já conhece a sua precursora, a norma BS OHSAS-18001:2007, verá que temos algumas mudanças importantes.
Algumas delas são decorrentes da nova estrutura que todas as normas de sistemas de gestão estão passando a adotar. Para quem conhece a versão 2015 das normas ISO-9001 e ISO-14001, ficará fácil de entender. Isso inclui a sua estrutura contendo 10 cláusulas, a consideração de riscos e oportunidades para o sistema de gestão (e não apenas os decorrentes dos perigos), a identificação de questões externas e internas (que constituem o contexto da organização), a determinação das necessidades e expectativas de trabalhadores e outras partes interessadas (obviamente incluindo os trabalhadores como parte interessada, mas não se limitando a eles), além de outras alterações menores e de terminologia.
Entre as mudanças específicas nos requisitos de saúde e segurança, quero destacar duas delas.
A primeira é a grande ênfase nos requisitos de consulta e participação de trabalhadores, começando pela inclusão deste comprometimento na política de SST e reforçando o papel da Alta Direção neste sentido ao proteger trabalhadores de represálias quando reportarem incidentes, perigos, riscos e oportunidades.
A Cláusula 5.4 estabelece diferentes temas onde a consulta aos trabalhadores ou a sua participação é requerida, com ênfase nos trabalhadores que não possuem funções gerenciais. Aqui a ideia não é excluir a participação dos gerentes envolvidos, mas apenas assegurar a inclusão dos trabalhadores que realizem as atividades de trabalho. Para se alcançar isso, novamente a norma requer que os obstáculos ou barreiras à participação sejam identificados e removidos ou minimizados.
Esta é uma mudança bastante importante, pois a consulta e participação dos trabalhadores pode ser um fator chave de sucesso de um sistema de gestão de SST e deve ser encorajado através dos processos estabelecidos pela organização.
A outra mudança que quero destacar é relacionada à aquisição de produtos e serviços, particularmente em relação à contratados e à terceirização. O que antes tínhamos apenas duas frases sucintas para tratarmos destes temas (4.4.6.b e 4.4.6.c da OHSAS-18001:2007), agora temos um detalhamento bem melhor das ações que envolvem a gestão de contratados e terceiros.
Ressaltei estes dois pontos da nova norma porque da minha experiência em trabalhos de consultoria e de auditoria de sistemas de gestão de SST (e por que não incluir aqui os demais sistemas de gestão?) observo frequentemente diversos problemas cujas causas talvez estejam justamente no baixo envolvimento e participação dos colaboradores e contratados. Para quem trabalha em uma empresa certificada, pense nos problemas encontrados, incluindo as não conformidades, e me diga se não está justamente aí a causa raiz da maioria deles...
Grande abraço a todos!


(*) João Camilo G. Sardinha é Diretor da APS Qualidade, com mais de 30 anos de experiência profissional e há 17 anos atuando como Consultor, Instrutor e Auditor de sistemas de gestão. Auditor Líder ISO-9001, ISO-14001, OHSAS-18001 e ISO-50001 para a SGS e Instrutor de diversos temas para a SGS Academy, incluindo Tutor dos cursos de Auditor Líder. Autor do livro Descomplicando a ISO-9001.

domingo, 7 de janeiro de 2018

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Livro: Descomplicando a ISO-9001


Já está disponível no Amazon (https://www.amazon.com.br/dp/B078PGHFDP) o novo livro sobre sistemas de gestão da qualidade, “Descomplicando a ISO-9001”, do Eng. João Camilo G. Sardinha.

O livro aborda os requisitos da norma por meio de histórias que ilustram situações do cotidiano de empresas de diversos segmentos e exemplos de aplicação, utilizando de uma linguagem fácil e agradável para melhor assimilação dos conceitos. Afinal, segundo o próprio autor, “transmitir o entendimento de conceitos técnicos não precisa ser uma coisa entediante, mas ao contrário, pode (e deve) ser conjugado a situações corriqueiras, simples e claras”.

Um sistema de gestão da qualidade contribui fortemente para o sucesso e a sustentabilidade de uma organização. Empresas que implementam seus sistemas de modo focado em suas necessidades e adequado às suas características desenvolvem uma base sólida para o seu crescimento.

Entretanto, estruturar processos eficazes e simultaneamente justos em suas necessidades requer, antes de mais nada, o entendimento preciso dos requisitos da norma e de suas finalidades.

A apresentação de exemplos de aplicação ou de problemas enfrentados por empresas de diferentes segmentos antes da sua conclusão com o requisito correlacionado leva o leitor a compreender a lógica por de trás desse requisito, permitindo que a sua aplicação seja extrapolada para qualquer outra situação real.

Outra particularidade deste livro é a sua organização. Os livros tradicionais sobre a ISO-9001 costumam abordar os requisitos de acordo com a sequência das cláusulas da norma, entretanto um sistema de gestão da qualidade real não é organizado por cláusulas, mas por processos. Cada Capítulo deste livro, por sua vez, foca em um tipo de atividade ou de processo de uma organização, abordando os diferentes requisitos aplicáveis simultaneamente a este.


Não deixem de conferir!

domingo, 10 de setembro de 2017

domingo, 23 de abril de 2017